The Impact of Event Marketing

Only a quid it’s all gone to pot say codswallop loo tinkety tonk old fruit Oxford Why, porkies cheeky bugger tickety-boo butty a load of old tosh bleeder, down the pub well owt to do with me is chip shop gormless. I don’t want no agro bleeder tomfoolery knees up what a load of rubbish the full monty.

O Projeto Caravana da Leitura e do Autor Fluminense – Mediadores de Leituras

é uma ação de circulação literária que tem como estratégia democratizar o acesso ao livro e a leitura, além de estimular e incentivar crianças de 7 a 14 anos para o contato com autores fluminenses, potencializados pelos Mediadores de Leituras e pelas Bibliotecas Comunitárias do Estado do Rio de Janeiro.

Está alinhado com a Agenda 2030 e os seguintes ODS.

Acões do Projeto

Capacitação para professores, agentes de leitura das Bibliotecas Comunitárias, pontos de leitura e projetos de incentivo à leitura.
Narrações de histórias, destinadas ao público infantojuvenil, disponibilizadas em transmissão ao vivo pela internet e em arquivos de áudio.
Palestras sobre temas ligados à promoção de leitura.
Conversa com autores fluminenses
Sorteio de Kits para 10 Bibliotecas Comunitárias com equipamentos digitais, ebooks, aplicativos e livros em papel.

Prodarte - proponente do projeto

A Prodarte - Associação Brasileira de Artes e Cultura é uma sociedade civil, de direito privado, beneficente e sem fins lucrativos que foi fundada em 20 de outubro de 2005, com a finalidade de congregar todos os profissionais envolvidos com arte e cultura. Destacamos dois projetos recentes. O Projeto Vidançar iniciou suas atividades em 2010, no Complexo do Alemão, levando a dança, de forma gratuita para 14 crianças da comunidade. Atualmente, o projeto desenvolve aulas de balé clássico, contemporâneo e passinho para cerca de 150 alunos da comunidade. A Caravana da Leitura e do Autor Fluminense é uma ação de circulação literária por municípios do estado do Rio de Janeiro. Foi realizada em 2020, de modo virtual, para escolas públicas de Maricá, Duque de Caxias, Angra dos Reis, Niterói e São Gonçalo

Objetivo Geral

A Caravana da Leitura e do(a) Autor(a) Fluminense pretende contribuir para a melhoria da educação, incentivo à leitura, através da formação de professores e mediadores de leituras, narrativas de histórias e oficinas literárias, bem como a divulgação dos autores fluminenses e de suas obras junto ao público infantil.

Objetivos Específicos

Autores

Roseana Murray

Autora de livros de poesia e contos para crianças, jovens e adultos. Graduada em Língua e Literatura francesa pela Universidade de Nancy através da Aliança Francesa. Recebeu ao longo de sua carreira os Prêmios: APCA, O Melhor de Poesia da FNLIJ (por quatro vezes) e Prêmio ABL para livro infantil. Recebeu por diversas vezes a láurea “Altamente Recomendável da FNLIJ”. Faz parte da Lista de Honra do Organismo Internacional IBBY (International Board on Books for Young People) que abriga os melhores autores de literatura infanto-juvenil do mundo. Trabalha com o Projeto de Leitura Café, Pão e Texto, recebendo Escolas Públicas em sua casa para um café da manhã literário. Tem cerca de cem livros publicados.

Rogério Andrade Barbosa

Escritor, palestrante, contador de histórias, professor de Literatura Africana (pós-graduação - UCAM/RJ) e ex-voluntário das Nações Unidas na Guiné-Bissau. Graduou-se em Letras na UFF (RJ) e fez Pós-Graduação em Literatura Infantil Brasileira na UFRJ. Trabalha na área de literatura Afro-Brasileira e programas de incentivo à leitura, proferindo palestras e dinamizando oficinas. São 30 anos de literatura e mais de 100 livros publicados, alguns traduzidos para o inglês, espanhol e alemão. Participou como autor, palestrante e contador de histórias em eventos literários e Feiras do Livro na Alemanha, Cuba, Itália, México, Peru, República Dominicana, Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Etiópia, Portugal, Gana e Suécia. Palestrante nos Congressos do IBBY (International Board on Books for Young People) em Cartagena (Colômbia-2000), Basel (Suíça-2002), Cape Town (África do Sul-2004), Macau (China-2006), Copenhagem (Dinamarca-2008) e do IBBY - África (Gana-2019).

Andrea Viviana Taubman

Nasceu na Argentina e mora no Brasil desde criança. Escritora, palestrante, tradutora, contadora de histórias e locutora bilíngue. É diretora da AEILIJ (Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil) desde 2013. Ocupa a cadeira nº 21 da Academia Teresopolitana de Letras e faz parte do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Teresópolis (RJ), onde reside e foi voluntária em abrigo para crianças em situação de risco social e vítimas de maus-tratos. No Rio de Janeiro, foi voluntária na oficina de leitura da ONG Espaço Logos de Cidadania Consciente (Conjunto de Favelas da Grande Tijuca). Sua obra aborda, principalmente, temas sensíveis da infância como luto, deficiências e abuso sexual.

Rosa Amanda Strausz

Nasceu em Niterói e vive no Rio de Janeiro. É formada em jornalismo pela Escola de Comunicação Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Jornalista, escritora e editora, possui uma pequena empresa de comunicação. Em 1991 estreou na literatura com o livro de contos Mínimo Múltiplo Comum, editado pela José Olympio, com o qual ganhou o prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro – CBL, na categoria Contos/Crônicas/Novelas. Em 1992, passou para a poesia e lançou Bispo e Colombina, pela Taurus/Timbre. Em 1995, encantou-se pela literatura infantil e publicou Mamãe trouxe um lobo para casa! e A coleção de bruxas de meu pai, com os quais ganhou o Prêmio Revelação Autor, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil - FNLIJ. A partir daí, publicou mais de 30 títulos pelas principais editoras do país e editou, entre 1997 e 2007, Doce de Letra, o primeiro site brasileiro totalmente dedicado à literatura infantil. Seu livro Uólace e João Victor ganhou, em 1998, o Prêmio João de Barro e foi adaptado para a TV na minissérie “Cidade dos Homens”, em 2002. Publicado na França pela Metalié/du Seuil, em 2005, com o título Un garçon comme moi, foi o primeiro título brasileiro a ficar entre os quatro finalistas do Prix Tam-Tam. Em 2012, recebeu o Prêmio Jabuti de Melhor Livro Infantil, 2º lugar, para O herói imóvel.

Palestrantes

Eliana Yunes

Possui graduação em Filosofia e Letras, mestrado em Linguística/Semiologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro; e doutorado em Linguística pela Universidade de Málaga, em Literatura Comparada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, com pós-doutorado em Leitura pela Universidade de Colônia e em Formação de Leitores na CNRS, Paris. Foi Professora associada da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975-2017) e segue professora visitante em diversas universidades públicas brasileiras e do exterior. Tem estudos interdisciplinares nas áreas de artes, educação, políticas públicas, comunicação e teologia e é consultora de instituições públicas e privadas para formação de leitores em perspectiva interdisciplinar. Criou para a Biblioteca Nacional o Programa Nacional de Leitura (Proler), é assessora do Cerlalc/Unesco e, co-fundadora da Cátedra Unesco de Leitura PUC-Rio, dirigiu-a entre 2006-2013, quando passou ao Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio (iiLer) cujo setor de pesquisas e publicações coordena.

João do Corujão

João Luiz de Souza, o João do Corujão, é animador cultural, produtor cultural, professor de literatura e criador e curador executivo do Corujão da Poesia, que vai completar 15 anos. A única vigília semanal de poesia e libertação de livros do continente americano. Trabalhou com Darcy Ribeiro no programa dos CIEPs. Nasceu e cresceu em São Gonçalo, no Estado do Rio de Janeiro. Atualmente mora em Niterói e se dedica a uma série de projetos de incentivo à formação de leitores.

Daniele Ramalho

Narradora de histórias, atriz e gestora cultural. Mestre em Bens Culturais e Projetos Sociais do CPDOC da FGV, com pesquisa em torno de Memória e História. Formada em Artes Cênicas pela Uni- Rio. Recebeu em Cotonou, no Benim, o Prêmio da Palavra, por seu trabalho com a oralidade e a aproximação que promove entre Brasil e África. Conta histórias entre Brasil, França e África. com narradores de histórias como Muriel Bloch(França), Coralia Rodrigues (Cuba) e François Moise Bamba(Burkina Faso). Faz curadoria de programações como do projeto “Narro, logo existo: narrativas brasileiras”, com CNFCP e Museu da República, do Festival “África Diversa”, com a Prefeitura do Rio de Janeiro e da “Tenda das Mil Fábulas”, na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, com a Câmara Brasileira do Livro.

Gregório Filho

Contador de histórias e escritor. Desenvolve oficinas de formação de contadores de histórias há mais de 40 anos no Rio de Janeiro e em outras cidades do país. Publicou livros de histórias para leitores infanto-juvenis e para adultos; também escreve artigos para jornais e revistas sobre práticas leitoras e a ação de contar histórias. Foi o primeiro coordenador do Proler/Biblioteca Nacional/Ministério da Cultura, entre 1992 e 1996. Em 2006 recebeu a Medalha da Ordem do Mérito do Livro conferida pela Biblioteca Nacional. Gestor de programas e projetos com as diferentes linguagens artísticas e a formação de leitores. Nasceu em Rio Branco, no Acre, onde foi Diretor do Departamento de Cultura, Diretor da Rádio Difusora, Presidente da Fundação Cultural do Estado de 1987 a 1990 e de 05/2004 a 01/2006. Alguns de seus livros: Dona baratinha e outras histórias, pela Rocco; Lembranças amorosas, pela Global; Ler e contar, contar e ler, pela Letra Capital e Guardados do Coração – avô + avó = A voz, pela Semente Editorial. Patrono da Cadeira 21 da Academia Brasileira de Contadores de Histórias e Membro da Academia Acreana de Letras.

Oficineiros

Guto Lins

Designer formado pela ESDI, Guto Lins é mestre em Literatura, Cultura e Contemporaneidade e professor do Departamento de Artes e Design da PUC-Rio desde 1995, lecionando para alunos em todos os estágios do curso. É sócio de Adriana Lins no escritório de design gráfico Manifesto, atuando principalmente na área cultural e de entretenimento. É autor e ilustrador premiado de diversos livros infanto-juvenis. Tem participado, como expositor e palestrante, de diversos eventos literários no Brasil e no exterior, tendo feito parte do PROLER, programa de incentivo à leitura, do Governo Federal e da Cátedra de Leitura, UNESCO/ PUC-Rio.

Benita Prieto

Nascida no Rio de Janeiro, filha de galegos, é curadora, consultora, produtora e mediadora de projetos de leitura. Escritora e Contadora de Histórias do Grupo Morandubetá. Criou o Simpósio Internacional de Contadores de Histórias do Rio de Janeiro. Estudou Engenharia Eletrônica, Teatro e fez especializações em Literatura Infantil e Juvenil e em Leitura: Teoria e Práticas. Desde 2012 pesquisa e ministra cursos sobre promoção de Leitura e Literatura Digital. É Coordenadora da Red Internacional de Cuentacuentos. Integra a Ações & Conexões Associação Cultural de Portugal. Benita completa 28 anos de narração oral, tendo atuado em 22 estados do Brasil e mais de 10 países, fazendo Conferências, Palestras, Oficinas, Cursos, Eventos, Apresentações e Espetáculos.

Nanci Nóbrega

Professora Aposentada da Universidade Federal Fluminense, Pesquisadora e Consultora sobre Bibliotecas, Biblioterapia e Orientação de Pesquisa, coordena o AITY – Grupo de Ledores Voluntários em asilos, hospitais, creches etc. no Rio de Janeiro e em Niterói. Criou e dirigiu diversas bibliotecas (Biblioteca Infantil do Colégio Bennett, Biblioteca do Museu Histórico Nacional, Biblioteca da Casa da Leitura/Fundação Biblioteca Nacional, Biblioteca de Leitura e Literatura Infantil do iiLer/PUC-Rio). Possui Doutorado em Comunicação Social/Ciência da Informação UFRJ.ECO e Estágio de Pós-Doutoramento em Letras PUC-Rio.

José Mauro Brant

Ator, cantor, autor e diretor de teatral com mais de 80 espetáculos no currículo, José Mauro Brant se define com uma só expressão: “Sou um contador de Histórias”. Foi em 1993, junto ao PROLER (Programa de Leitura da Biblioteca Nacional) que Brant, começou a sua formação na linguagem dos contadores de histórias em ambientes de promoção de leitura. Em 1996 estreou seu primeiro espetáculo contando e cantando histórias: “Contos, Cantos e Acalantos” e, desde então, Brant se tornou referência e segue se apresentando em teatros, escolas, hospitais - em todo o Brasil e no exterior. Já publicou 4 livros e diversos artigos em livros de referência. Hoje, Brant concilia seus espetáculos de narração com a criação e direção de espetáculos musicais: “Era uma vez... Grimm” e “O Pequeno Zacarias – uma ópera irresponsável”, parcerias com o maestro Tim Rescala, ganharam, ambos, prêmio APTR de melhor música. Em 2018, “Makuru um Musical de Ninar”, também lançado em CD em todas as plataformas digitais, ganhou 15 prêmios e 30 indicações nas principais premiações do teatro carioca, incluindo melhor texto e melhor espetáculo infantojuvenil.

Narradores de Histórias

Warley Goulart

Warley Goulart é diretor artístico, contador de histórias e artista visual do grupo Os Tapetes Contadores de Histórias. Nos últimos 22 anos, o artista participou de espetáculos, contações de histórias, exposições interativas de seu acervo e oficinas de formação de contadores de histórias, no Brasil e exterior. Interessado pelas intersecções entre narração oral e teatro, Warley Goulart dirigiu solos narrativos, destacando-se Ato de Comunhão, com Gilberto Gawronski; e A Arte de Governar a Si Mesmo, com Daniella D’Andrea. Durante a pandemia 2020, Warley Goulart fundou o CADA UM NO SEU QUADRADO, projeto virtual de produção audiovisual - contemplado pelo Itaú Cultural - que reúne contadores de histórias de todo país para pesquisarem a relação das estruturas dos contos de tradição oral com a ferramentas de aplicativos de videoconferencia. Warley Goulart está neste exato momento participando virtualmente do projeto ARTE DA PALAVRA, do Sesc Nacional, com LIVEs interativas para várias unidades de todo país.

Suzana Nascimento

Atriz, contadora de histórias, autora, diretora, apresentadora e produtora. Mineira de Juiz de Fora, radicada no Rio de Janeiro desde 2000, artista pesquisadora e criadora com 20 anos de carreira e diversos espetáculos teatrais, com destaque para o premiado monólogo “Calango Deu! Os causos da Dona Zaninha”, direção de Isaac Bernat.

Glauter Barros

Contador de histórias e também conhecido como o Palhaço Picolé, ator, diretor, jornalista e um dos fundadores e integrante do Grupo Tororombo. Glauter desde 1996 vem fazendo arte e cultura em Angra dos Reis e em todo o Brasil. Em 1999 começou a desenvolver a arte de contar histórias em colégios, igrejas, praças e ruas de Angra, também fez parte da equipe de organização do “Montanhas de Histórias” realizado na cidade de Ouro Preto/MG.

Silvia Castro

Atriz, contadora de histórias, professora da Rede Municipal e Estadual de Ensino da Cidade do RJ. É formada em Letras pela UERJ e pós graduanda em LIJ pela UCAM. Desenvolve há mais de vinte anos ações de promoção da leitura, formação do leitor e divulgação da cultura popular em seu legado imaterial - histórias, canções e jogos cantados. Em 2019 lançou o seu primeiro livro: HISTÓRIAS DE HARMATÃ, iniciando sua carreira como escritora. Representou o Brasil como narradora de contos em Cuba, México e Colômbia. Recebeu moção honrosa na Câmara dos Deputados do Rio de Janeiro por serviços prestados à Educação, quando Supervisora Pedagógica do Projeto Educativo do CCBB-Rio. Apresentou-se em projetos diversificados na REDE SESC dentro e fora da Cidade do RJ. Durante a pandemia participou dos seguintes projetos: SALA DE LEITURA DE PORTAS ABERTAS - Lives às 2as, 4as. e 6as., sempre às 14h; ARTESESC RJ - contação de histórias "Encantos"; IPIRUNGAUA - NO PRINCÍPIO, premiado no Edital Cultura nas Redes aos sábados de setembro / outubro às 15h, em suas redes; "Brasil de Encantos" - contação de histórias, na Cidade das Artes.

Programação

Lançamento do projeto

Palestra: Cultura popular - vozes diversas com Gregório Filho

Histórias, saberes e produção de memória. Tudo que os homens e as mulheres fazem, criam e narram. Oralidade – alguns aspectos dos repertórios dos narradores populares. Os cuidados para a permanência do respeito e os vínculos de referências aos modos e maneiras dos povos expressarem seus conhecimentos sobre os universos culturais. Um olhar sobre a circulação de acervos e suas dinâmicas culturais e sociais.

Palestra: Literatura para o bem-viver com Eliana Yunes

O bem viver proposto por Aristóteles como fundamento na ética, entrou na ordem do dia, com o fracasso de nosso “viver bem” contemporâneo, individualista e irresponsável pelo bem estar comum. O que a literatura, as artes em geral, têm a ver com isto? Que bem é este que passa invisível, mesmo para os que têm recursos e escolaridade? Quem acredita e por que na articulação entre literatura e bem-viver?

Palestra: Africanidades com João do Corujão

Conversar sobre “Africanidades” é falar sobre o nosso dia a dia no Brasil. Existe muito da África, um continente com 54 países, na língua que falamos, no que comemos, como dançamos, na forma de lavrar a terra, na medicina, nas manifestações religiosas, espirituais, artísticas e culturais, nas famílias expandidas e em muito mais. A conversa será sobre este olhar atento, para “lermos” o quanto de ÁFRICA tem em nós e em todo o Brasil

Palestra: Narrando mitologia indígena brasileira com Daniele Ramalho

A narradora irá contar alguns mitos indígenas brasileiros e partilhar questões para uso de histórias indígenas na mediação de leitura: a escolha dos mitos, a pesquisa de diferentes versões, o trabalho com a palavra, a construção de imagens e a questão do tempo nas narrativas dos povos originários.

Bate-papo com a autora Roseana Murray

Oficina: Quando o texto e a imagem conversam com Guto Lins

Explicitar as alternativas de diálogo narrativo entre texto imagem: contrapontos e figuras de linguagem. Mostra de ilustrações exemplificando as alternativas elencadas.

Bate-papo com o autor Rogério Andrade Barbosa

O fio das histórias, sessão de contos com Warley Goulart

Narração de 3 contos que permearam sua trajetória de costura e paixão pela literatura: o ELEFANTE, de Carlos Drummond de Andrade, por meio do próprio tapete que costurou em homenagem ao poeta de Itabira; a lenda tradicional inca O MISTÉRIO DAS ILHAS PACHACAMAC, narrativa que escutou no próprio santuário arqueológico de Pachacamac, materializada em livro de pano pelo projeto limenho Manos que Cuentan e O CONGO VEM AÍ de Sérgio Capparelli, com as próprias ilustrações de tecido que criou especialmente para este livro da Editora Global.

Oficina: A arte de contar histórias com José Mauro Brant

O Contador de Histórias em Ação: Recursos e ferramentas: O olhar, O ouvir, Trabalho vocal e respiratório, A Voz e seus tons e temperaturas – criação das vozes dos personagens do conto, Ritmo do texto para o ouvinte, Expressão gestual – o conto no corpo.

Histórias daqui & dali, sessão de contos com Glauter Barros

Coletânea de histórias, lendas e contos do Brasil e do mundo, onde - pela oralidade e com auxílio de diferentes adereços, instrumentos musicais, fantoches, livros e utensílios domésticos - o ator, palhaço e contador de histórias Glauter Barros relembra algumas das histórias que encantaram - e ainda encantam - várias gerações. As narrativas são entremeadas com brincadeiras de adivinhações (o que é, o que é?) e trava-língua. Um trabalho que agrada crianças e adultos, onde é reafirmada a importância de perpetuar a cultura e o saber populares.

Oficina: Bibliotecas Brincantes: “Leituras” com Nanci Nóbrega

Para que serve uma biblioteca? Como as sociedades têm interpretado seu papel? Como transformar um espaço de acervo físico e/ou virtual em “território” pertencente a uma comunidade? É possível organizar e dinamizar acervos, informação e atividades leitoras com rigor, mas sem rigidez? Quem disse que para ser instituição séria, a biblioteca precisa ser sisuda, ranzinza, mal humorada? A oficina partirá destas indagações para: 1. refletir ação e organização de bibliotecas comunitárias; 2. debater sugestões de um trabalho biblioteconômico “brincante".

Bate-papo com a autora Andrea Viviana Taubman

Em cantos e contos, sessão de contos com Silvia Castro

Através da roda de histórias pretendemos apresentar algumas regiões do país em sua diversidade cultural: canções do cancioneiro brasileiro, brinquedos cantados, lendas e narrativas típicas do Brasil, propondo uma viagem cujas pontes se alicercem na palavra.

Oficina: Leitura digital, Leitura sem fronteiras com Benita Prieto

Mobilizar para a produção, o fomento e a fruição da Literatura digital. Conhecer os modos de narrativas proporcionados pelos recursos tecnológicos. Vivenciar a leitura interativa e imersiva. Compartilhar experiências e construir práticas que incorporem a leitura digital ao nosso cotidiano.

Bate-papo com a autora Rosa Amanda Strausz

Contam as árvores… sessão de contos com Suzana Nascimento

Contam as árvores... muitas histórias das florestas, dos bosques e dos jardins. Chamadas pelos povos antigos de 'o povo em pé', testemunham tudo o que acontece no seu reino das plantas. Elas sabem de tudo, das raízes aos mais altos galhos. E nos sopram as histórias.

Encerramento da Caravana

© 2022 Caravana da Leitura e do autor Fluminense. Todos os Direitos Reservados.

Contatos​

Vivian Cristina
Presidente da Prodarte
E-mail:
[email protected]
Telefone: (21) 97033-1114

Assessoria de Imprensa
E-mails: 
[email protected] 
[email protected]
[email protected]
Telefones: (21) 98158-9692

E-mail Geral: [email protected]